PROANTAR

Grupo-Base Polaris está a bordo no Navio Polar Almirante Maximiano

O GB que guarnecerá a EACF já está a bordo no Navio Polar Almirante Maximiano realizando a travessia até a região austral.

O Grupo-Base (GB) que irá guarnecer a Estação Antártica Comandante Ferraz (EACF) no período de novembro de 2021 a novembro de 2022 já está a bordo no Navio Polar Almirante Maximiano realizando a travessia até a região austral. A previsão é que estejam na Baía do Almirantado no dia 16 de novembro, para dar início à missão que inclui, dentre outras atividades, a manutenção e operação da estação e o apoio às pesquisas científicas.

         

               A constelação de Octans e sua área delimitada em branco. A estrela Polaris Australis, indicada pelo símbolo , está próxima do Polo Celeste Sul.

 

Normalmente o GB chega ao Continente Antártico por meio dos Voos de Apoio organizados pelo Programa Antártico Brasileiro, em aeronaves Hércules C-130 da Força Aérea Brasileira, partindo da Base Aérea do Galeão até a estação antártica chilena Presidente Eduardo Frei Montalva. Este ano, devido a pandemia da COVID-19, o GB Polaris refará o caminho do grupo pioneiro, que chegou ao continente gelado na Operação Antártica de 1983/84 para construir e inaugurar a EACF, viajando de navio desde o Rio de Janeiro até a Península Keller.

                                                                                                                 Grupo-Base Polaris

Tradicionalmente, cada GB busca criar uma identificação própria, caracterizada por um nome e uma logomarca, que personifica os militares componentes da equipe. O grupo 2020/2021 denomina-se Polaris, em alusão a Estrela Polar do Sul ou Polaris Australis, localizada na Constelação Octans e também conhecida como Sigma Octantis. Uma das características dessa estrela é estar distante, mas sempre presente – assim como a EACF, que se encontra distante do Brasil, mas guarnecida ininterruptamente. É considerada a estrela mais ao sul e, por estar muito próxima do Polo Sul Celeste (distante a menos de 1 grau), sua movimentação no céu é pequena, sendo considerada por muitos astrônomos uma estrela permanente, assim como a EACF, a casa do Brasil na Antártica, marcando a presença permanente de nosso País no Continente Gelado.

                                                                                                              Grupo-Base Polaris